Palestrantes

Bas’llele Malomalo

baslleleDoutor em Sociologia pela Universidade Estadual Paulista Júlio Mesquista/UNESP (2010), é docente de graduação e do Mestrado Interdiscipinar em Humanidades (MIH) do Instituto de Humanidades e Letras (IHL) da Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira (UNILAB), coordenador do Grupo de Pesquisa África-Brasil: Produção de conhecimentos, sociedade civil, desenvolvimento e cidadania global, pesquisador associado do Centro dos Estudos das Culturas e Línguas Africanas e da Diáspora Negra (CLADIN-UNESP); da Rede para o Constitucionalismo Democrático Latino-Americano e Member of United Nations – Harmony with Nature. Tem experiência na área de Ciências sociais, Historia da África e do Negro no Brasil, atuando principalmente nos temas seguintes: sociologia africana, estudos das relações raciais, multiculturalismo, desenvolvimento sustentável, cooperação internacional, ensino da história e cultura africana e afro-brasileira.

 

Rosângela Pereira de Tugny

Rosangela_Tugny-250x250Cursou graduação em Piano pela Universidade Federal de Minas Gerais (1986), DEA em Música e Musicologia – Université de Tours (Université François Rabelais) (1991) e doutorado em Música e Musicologia – Université de Tours (Université François Rabelais) (1996). Atualmente é professora associada do IHAC da Universidade Federal do Sul da Bahia. Coordenou projetos no Acervo Curt Lange e no Laboratório de etnomusicologia da UFMG, desenvolvendo pesquisas sobre as práticas musicais indígenas. Publicou livros e artigos sobre música contemporânea e etnomusicologia. Em colaboração com especialistas dos repertórios de cantos do povo Tikmu’un-Maxakali, organizou a tradução, edição e publicação de filmes, gravações, livros de tradução de cantos e mitos e livros didáticos. Coordena o Grupo de pesquisas (CNPq) “O trabalho da memória através dos cantos”, realizado em colaboração com o Museu do Índio-Funai (PRODCSOM), responsável pelo registro e documentação musical entre os Enawene Nawe, Tikmũ’ũn/Maxakali, Baniwa, Mbya Guarani, Guarani e Kaiowa do Mato Grosso do Sul e Krahô. É integrante do INCT de Inclusão do Ensino Superior e na Pesquisa (CNPq).

 

Laila Andresa Cavalcante Rosa

lailaMusicista, compositora, cantora, instrumentista e pesquisadora pernambucana. Graduada em Licenciatura em Música pela Universidade Federal de Pernambuco (2002), é mestre (2005) e doutora em Música – etnomusicologia pela Universidade Federal da Bahia (2009), com bolsa CAPES de doutorado sanduíche de 1 ano realizado na New York University (Nova York, 2007-2008), onde esteve vinculada ao Center for Latin American and Caribbean Studies (CLACS) e ao Programa de Pós-Graduação em música. Desde 2010 é professora adjunta da Escola de Música, do Programa de Pós-Graduação em Música, onde é também coordenadora desde 2016, e do Programa de Pós-Graduação em Estudos sobre Gênero, Mulheres e Feminismo, ambos da UFBA. É pesquisadora permanente do NEIM/UFBA (Núcleo de Estudos Interdisciplinares da Mulher), e também pesquisadora dos grupos GEMBA (Grupo de Estudo e Pesquisa de Música na Bahia)/UFBA e do Grupo Estudos de Gênero, Corpo e Música/UFRGS. É coordenadora da Feminaria Musical: grupo de pesquisa e experimentos sonoros, que integra a linha da pesquisa Gênero, Cultura e Arte do NEIM. Com a Feminaria Musical vem desenvolvendo pesquisas sobre produção de conhecimento sobre mulheres e música no Brasil, bem como, realizando atividades diversas de extensão como eventos, performances e intervenções para fora do âmbito acadêmico enquanto grupo artivista feminista. No campo da Educação Musical e enquanto orientadora de Estágio Docente em Música, vem trabalhando com a articulação entre educação musical e etnomusicologia, com os marcadores sociais da diferença para compreender as matrizes de desigualdades presentes na educação como o racismo, o etnocídio, o sexismo e a LGBTQI-fobia, assim como, com a articulação entre as leis 10.639 e 11.645 (inclusão do ensino da História e cultura afro-brasileira e indígena) e a lei 11.769 (obrigatoriedade do ensino de música na Educação Básica). Em 2013 lançou o CD “Água Viva: um disco líquido”, trabalho autoral livremente inspirado na obra homônima de Clarice Lispector (www.soundcloud.com/laila-rosa). O mesmo foi contemplado pelo edital de Demanda Espontânea 2011, da Fundação Cultural do Estado da Bahia. Áreas de interesse/atuação são: epistemologias feministas decoloniais, etnomusicologia e musicologia feminista, religiões afro-brasileiras, música popular brasileira, compositoras brasileiras, educação musical pela diversidade humana, violino e rabeca nos contextos da música popular e tradicional brasileira.

 

Katharina Döring

KATHARINA-DORING-2Graduação em Educação Musical (2000) e mestrado em Etnomusicologia (2002) pela Universidade Federal da Bahia; doutorado em Educação (2011) com ênfase em Arte-Educação pela Universidade Siegen – programa INEDD. Desde 2002 professora assistente da Universidade do Estado da Bahia (UNEB) para as disciplinas Arte-Educação, Iniciação Musical, Processos de Criação, Artes Visuais na Contemporaneidade, Referencias teóricas e metodológicas do Ensino de Artes e Ludicidade. Pesquisadora do Samba de Roda do Reconcavo Baiano desde do ano 2001, com vários projetos e publicações de pesquisa, extensão ate então. Trabalha na interface de Etnomusicologia, Educação Musical e Artes, com ênfase na transdisciplinaridade em músicas, artes e culturas populares, tradição – contemporaneidade no samba de roda/samba chula, tradições cênico-poético-musicais de matriz africana, danças circulares. Elaborou, desenvolveu, coordenou ou contribuiu com vários projetos de pesquisa e produção cultural com samba de roda e culturas populares na Bahia e Nordeste, buscando o diálogo entre culturas populares, tradições orais e práticas estéticas contemporâneas, para elaborar novos caminhos, metodologias, fundamentos teórico-práticos e epistemologias no campo do patrimônio imaterial, culturas e musicas negras, performance, produção cultural e educação musical e cênica. Coordenadora do 1. e 2. Fórum de Educação Musical da Bahia (FEMBA 2012 – FEMBA 2013). Membro fundadora e pesquisadora do grupo de pesquisa Núcleo de Tradições Orais e Patrimonio Imaterial (NUTOPIA) desde de 2008. A partir do ano 2013, professora visitante para o Mestrado Profissional em Musica (PPGPROM) da EMUS-UFBA na área de educação musical com interfaces e olhares interdisciplinares para etnomusicologia, estudos culturais e arte-educação. A partir de 2016, professora na Pos-Critica – UNEB, Campus II na disciplina “Culturas Populares e Tradições Orais”. Coordenadora do Dossie 48 “Musica e Educação – uma relação interdisciplinar e pluricultural” da Revista da FAEEBA – 2017.

 

Maura Lucia Fernandes Penna

Maura-PennaGraduada pela Universidade de Brasília em Licenciatura Plena em Educação Artística (1983), Licenciatura em Música (1983) e Bacharelado em Música (1979). Mestrado em Ciências Sociais pela Universidade Federal da Paraíba (1990) e Doutorado em Linguística pela Universidade Federal de Pernambuco (1997). Atualmente é Professora Adjunto II do Departamento de Educação Musical da Universidade Federal da Paraíba (desde agosto 2009), onde atua como pesquisadora e docente dos cursos de Licenciatura em Música e no Programa de Pós-Graduação em Música (mestrado e doutorado). Ainda na Universidade Federal da Paraíba, atuou no Departamento de Arte entre 1984 e 2003, lecionando na Licenciatura em Educação Artística, no Mestrado em Educação e em cursos de Especialização em Arte. Entre março de 2004 e agosto de 2009 integrou o corpo docente do Departamento de Educação da Universidade Estadual da Paraíba (Campina Grande – PB), lecionando no curso de Pedagogia, no Mestrado em Literatura e Interculturalidade e no Mestrado Interdisciplinar em Ciências da Sociedade. Tem experiência na área de Artes e de Educação, com ênfase em Educação Musical, atuando principalmente nos seguintes temas: educação musical, ensino de arte, parâmetros curriculares nacionais, prática pedagógica em arte e música, pesquisa em educação, além de manifestações culturais e artísticas na contemporaneidade. Atualmente coordena o Grupo de Pesquisa Música, Cultura e Educação, e desenvolve pesquisa sobre as práticas educativas musicais no Programa Mais Educação.

 

Tereza Santos Farias

terezaMestra em Educação e Contemporaneidade pelo Programa de Pós Graduação em Educação e Contemporaneidade da Universidade do Estado da Bahia, Especialista em Gestão e Auditoria Ambiental pela Faculdade Visconde de Cairu e Bióloga licenciada pela UCSal. Exerce atualmente a função de Diretora de Ensino Médio na Secretaria Estadual de Educação da Bahia, vinculada à Superintendência de Políticas para a Educação Básica, e possui ampla experiência como Professora da Educação Básica, bem como Educação Superior, na Graduação e Pós Graduação, além da Formação Continuada de Professores em nível de aperfeiçoamento. É pesquisadora da Educação Ambiental, Educação Profissional e Juventudes e Ensino Médio.

 

Marcus Vinícius Medeiros Pereira

MarcusPossui graduação em Música – Bacharelado em Piano pela Universidade Federal de Minas Gerais (2005), mestrado em Música pela Universidade Federal de Minas Gerais (2007) e doutorado em Educação pela Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (2012). Atualmente é professor adjunto da Universidade Federal de Juiz de Fora, onde dirige o Centro Cultural Pró-Música. Atua como professor permanente do Programa de Pós-Graduação em Educação da Faculdade de Educação – UFJF; e professor colaborador do Programa de Pós-Graduação Música em Contexto da UnB. É presidente da Associação Brasileira de Educação Musical. Tem experiência na área de Artes, com ênfase em Educação musical, atuando principalmente nos seguintes temas: currículo, sociologia da educação musical, e educação musical escolar. Na área da musicologia e da performance musical, seus interesses de investigação são a canção brasileira, e estudos relacionados ao piano.

Anúncios